De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
França

Alain Juppé: geminação Porto-Bordéus funciona mesmo

Os presidentes das Câmaras de Bordéus e do Porto, o ex-primeiro-ministro Alain Juppé e Rui Moreira, inauguraram quinta-feira, naquela cidade francesa, a exposição “Douro: L’Air de la terre au bord des eaux”, no âmbito do programa da La Cité du Vin e das comemorações dos 40 anos de geminação que liga os dois municípios.
Promovida pela Fondation pour la Culture et les Civilisations du Vin (Fundação para a Cultura e as Civilizações do Vinho), a iniciativa oferece anualmente a uma região vinícola diferente a possibilidade de se dar a conhecer sob a perspetiva cultural e civilizacional através de uma exposição original e estética, que é acompanhada por numerosos eventos culturais.
O Porto, no ano em que comemora 40 anos de geminação com Bordéus, é a cidade convidada e revela com uma impressionante exposição, as diferentes dimensões que, a par do vinho e dos vinhedos, a cidade e o vale do Douro têm para oferecer ao mundo.
Quarta-feira, Rui Moreira foi recebido pelo Embaixador de Portugal em França, no Consolado-Geral de Portugal em Bordéus, e apresentado a vários empresários lusos e representantes da sociedade civil nacional na região. O programa da visita de Rui Moreira incluiu ainda contactos bilaterais a vários níveis e um encontro a dois entre Juppé e Rui Moreira.
A inauguração da exposição contou com centenas de convidados que encheram uma das salas mais nobres da Cité du Vin, entre os quais se contavam personalidades como o Reitor da Universidade do Porto, Sousa Pereira; o presente do Conselho de Fundadores da Casa da Música, Luís Valente de Oliveira; Manuel Cabral, presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto; o presidente da Assembleia Municipal do Porto, Miguel Pereira Leite; o vereador da Economia, Turismo e Comércio da Câmara do Porto, Ricardo Valente, e muitas outras personalidades do mundo da cultura e da economia e da indústria do vinho.
“Douro: L’Air de la terre au bord des eaux”, comissariada por Nuno Faria, diretor artístico do Centro Internacional das Artes José de Guimarães, e pela antropóloga e empresária turística Eglantina Monteiro, apresenta o Porto e o Alto Douro em todo o seu esplendor: as suas paisagens culturais reconhecidas pela UNESCO, a relação ancestral entre o Homem e a natureza, o património material e imaterial, o microclima único, o idioma, a arquitetura, o rio.
Tanto a mostra em si como a programação paralela e a sua divulgação foram concebidas de modo a privilegiar uma experiência global ao público infantil e adulto, tendo em conta diferentes níveis de conhecimento, estímulos da imaginação, descoberta, entretenimento.
A exposição é organizada pela Câmara do Porto e a fundação francesa, ficando patente até 6 de janeiro próximo na Cité du Vin, Bordéus.
No discurso de inauguração, o autarca francês, Alain Juppé, salientou que a geminação entre as duas cidades funciona mesmo e está para durar, e Rui Moreira sublinhou as similitudes entre Porto e Bordéus, quer em termos dimensionais quer no sucesso que estão a atravessar em matéria de desenvolvimento económico. Lembrou, em concreto, os programas de reabilitação EuroAtlantique, a decorrer na cidade francesa, e o programa de investimento em curso em Campanhã.