De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Colunistas

As ilhas de lixo no mar

Eu não sou grande ambientalista mas sei coisas básicas, como por exemplo, entender que só existe um planeta Terra e que temos que garantir a sua sustentabilidade. Eu não quero deixar aos meus descendentes um planeta mais sujo do que aquele que eu encontrei. Mas isso não depende sé de mim e das minhas atitudes, mas depende também dos outros, das acções legislativas de cada uma das nações e essencialmente de uma estratégia planetárias porque afinal, a casa é comum.

Eu poluo como qualquer outra pessoa, mas também como qualquer outra pessoa, separo o lixo e ainda hoje fui meter 12 garrafas de vidro no Vidrão. Não me considero exemplo para ninguém, e sei e compreendo que por preguiça ou revolta, muitas pessoas metem tudo no contentor do lixo sem qualquer tipo de separação!

Apesar de tudo, eu tenho a certeza que o lixo produzido em Portugal não vai para o mar! Não vejo as nossas praias sujas, é raro ver um saco de plástico a flutuar no mar, indignamo-nos com a casca de banana que um porcalhão deixou na areia e acho que todos gostamos de uma “casa comum” relativamente limpa.

Assim, e tendo referência a União Europeia, não consigo entender como é que existem “ilhas de lixo” com o dobro do tamanho de França, como é que isso é possível? E certamente, nessas ilhas de lixo, pouco lixo europeu haverá!

Contudo, trata-se de um problema planetário e revendo um pouco a matéria, existem países que estão a fazer dumping ambiental, que se estão perfeitamente a marimbar para a poluição, para as ilhas de lixo, e para eles tudo bem desde que façam dumping social, ambiental, social, laboral e ignorem todas as regras de convivência desde que sejam reconhecidas como economias emergentes. É isso que queremos? Como é que um país europeu com tanta regra ambiental e laboral pode competir contra a China onde não existem regras? Claro que os mercados aplaudem a pujança chinesa liderada pelo seu Partido Comunista! É assim que vamos evoluir?

Vão os europeus pagar cada vez mais taxas ambientais e os outros a poluir cada vez mais? É isso que achas bem? É essa a fórmula de sucesso para o planeta?

Claro que não, eventualmente acharás que deverão existir pautas aduaneiras mais severas para países poluidores, mas depois os produtos das lojas dos chineses ficarão muito mais caros e isso é uma chatice.

Não, não vou retirar conclusões embora tenha uma opinião!