De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Comunidades

Começou a limpar o chão e acabou por comprar a empresa

Jim DeMello, sem nunca ter deixado de estar ligado à comunidade portuguesa, perseguiu o sonho americano, como muitos imigrantes desde os primórdios dos Estados Unidos. Só que Jim, apesar do excelente português que fala, nasceu já na América e os pais também. Quem imigrou foram os avós, conta o Diário de Notícias.

“O meu nome é Jim George DeMello. Nasci em New Bedford, Massachusetts, em novembro de 1940. Os meus pais também nasceram aqui nos Estados Unidos. Os meus avós da parte da minha mãe nasceram no continente, os da parte do meu pai nasceram nos Açores, no Pico. Uns eram do Bombarral, os outros de Terra do Pão”, contou Jim, que explica ainda que, como tanto o pai como a mãe trabalhavam, em pequeno ficava muito tempo com os avós maternos e por isso sabe bem português. “Quando vinha da escola tinha de falar português. Se não pedisse a comida em português, não comia nada”, relembra-se, entre risos. Os avós viveram muitos anos na América e nunca chegaram a falar bem inglês, acrescenta. Também não sabiam ler e escrever. “Quando era preciso assinar alguma coisa era com a cruz”, acrescenta.

Analfabetos mas trabalhadores árduos. Jim recorda-se de o avô arranjar carros e de a avó dar conta da casa e criar cinco filhos. Foi uma lenta ascensão social a desta família, mas segura. “O meu pai era assistente de um advogado e a minha mãe trabalhava numa empresa de venda de mobílias”, diz. “E eu fui o primeiro da família a ir para a universidade. Estudei Engenharia”.

Foi em Engenharia Química que Jim se formou e ainda estudante começou a trabalhar na Acushnet Rubber, empresa já centenária que é famosa pelo material de golfe que produz, em especial as bolas. Acabou dono. É, de facto, uma história incrível, que vale a pena ouvir contada da boca do próprio: “Comecei a trabalhar lá, a fazer limpezas, quando estava ainda a estudar. Trabalhava lá no verão. Depois graduei-me e comecei a ser engenheiro na Acushnet Rubber. Depois daí fui subindo até chegar a ser presidente da companhia. Depois de ser presidente, passados três ou quatro anos, comprei-a.”

Durante cinco anos, Jim foi presidente, CEO e dono da Acushnet Rubber. Depois, em 2000, decidiu vendê-la e lançar-se em novos negócios. “Depois de vender a companhia, onde estive 40 anos, comecei então a ver prédios e a comprar casas. Os investimentos passaram a ser em imobiliário, tanto aqui em New Bedford como em Dartmouth, perto da universidade”, explica. Mas ao mesmo tempo decidiu reforçar o apoio à comunidade portuguesa, sobretudo à educação, não só ajudando a criar a Discovery, que tanto o orgulha, como financiando bolsas de estudos portugueses na universidade.