De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
França

Mãe de Maelys reconhece filha dentro do carro do suspeito

A mãe de Maëlys de Araújo reconheceu a menina luso-descendente de nove anos desaparecida no final de agosto dentro do carro do suspeito nas imagens de videovigilância que lhe foram mostradas pelas autoridades. Segundo o Le Parisien, Jennifer Cleyet-Marrel, viu as imagens e identificou a criança devido à alça e ao corte do vestido, que a menina levara para o casamento.

O vídeo mostra o carro de Nordahl Lelandais, um Audia A3 de três portas, na noite do desaparecimento de Maelys. Nas imagens a polícia identificou uma figura humana no banco ao lado do condutor e recorreu aos pais de Maelys para identificarem se se tratava da filha.

A figura vestida de branco já tinha sido referida pelo Ministério Público francês, mas o advogado do suspeito disse que se tratava de uma mulher adulta. Essa ‘mulher mistério’ nunca foi encontrada nem apareceu desde então. Para dar força à tese de que a menina foi raptada e morta, com o suspeito a livrar-se do corpo em seguida, o carro de Nordahl Lelandais é novamente captado pelas cãmaras de videovigilância a fazer o percurso inverso alhum tempo depois, desta vez sem ninguém sentado ao lado do condutor.

A polícia analisou vários vídeos de videovigilância que mostram o percurso de Nordhal. O carro do homem é filmado a conduzir em direção à casa onde vivia com os pais. O mesmo Audi cinzento, identificado pelas jantes, é filmado a ser lavado por Nordahl numa estação de serviço, perto de Abrets, onde o suspeito tem especial cuidado na limpeza do lado do passageiro.

Maëlys de Araújo estava com a família num casamento em Pont-de-Beauvoisin, a 85 quilómetros de Lyon, no sudeste de França, no dia 27 de Agosto do ano passado, quando desapareceu. Lelandais já foi formalmente acusado do assassínio da criança, mas nega qualquer envolvimento, apesar de ter admitido ter estado com a menina no carro.

O advogado de Nordahl pediu a libertação do seu cliente, preso preventivamente há vários meses, argumentando que não há provas de que esteja envolvido no desaparecimento de Maelys. Os pais da menina luso-descendente já pediram que o suspeito volte a ser ouvido por um juíz e confrontado com estas novas imagens, na presença de um criminologista.