De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Mundo

Português cita Fernando Pessoa no retiro da Quaresma do Papa

O padre e poeta José Tolentino Mendonça fez a primeira meditação do retiro da Quaresma do Papa Francisco e dos colaboradores da Cúria Romana, com uma reflexão sobre o tema “aprendizes do espanto”.

O biblista português comentou a passagem do Evangelho de João em que Jesus se encontra com a Samaritana e diz-lhe “Dá-me de beber” para sugerir, a partir de citações de Tolstoj e Fernando Pessoa, que é necessário “aprender a desaprender”.

“Desaprendamos para aprender aquela graça que tornará possível a vida dentro de nós. Desaprendamos para aprender até que ponto Deus é a nossa raiz, o nosso tempo, a nossa atenção, a nossa contemplação, a nossa companhia, a nossa palavra, o nosso segredo, a nossa escuta, a nossa água e a nossa sede”, afirmou o padre José Tolentino Mendonça, citado pelo portal de notícias do Vaticano.

“Digamos no nosso íntimo, com toda a verdade de que somos capazes: ‘Senhor, estou aqui à espera do nada’, ‘Senhor, estou aqui à espera do nada’. Ou seja, estou apenas à espera de ti, à espera do que és, à espera do que me dás’”, disse o vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa na primeira meditação do retiro do Papa.

José Tolentino Mendonça sugeriu que, como a Samarita ficou surpreendida com Jesus quando lhe disse “dá-me de beber”, assim também cada um deve ficar desconcertado, uma vez que Ele dirige o mesmo pedido a cada pessoa.

“Dá-me o que tens, abre teu coração, dá-me o que és” são os pedidos de Jesus a cada um, considera o padre e poeta madeirense.

O biblista português disse que é necessário ter presente o “dom sem limites de Cristo na cruz” para compreender o diálogo com a Samaritana.

“Quando Jesus pede ‘Dá-me de beber’, a sua sede não se materializa na água. É uma sede maior. É sede de alcançar as nossas sedes, de entrar em contacto com os nossos desertos, com nossas feridas”, acrescentou.

“É o Senhor que toma a iniciativa de vir ao encontro de nós. Ele chega antes ao poço. Quando a samaritana entra em cena, Jesus já está lá, sentado. Quanto maior é o nosso desejo, o de Deus é sempre maior”, disse José Tolentino Mendonça.

O padre e poeta português José Tolentino Mendonça vai propor 10 reflexões sobre sede e desejo de Deus durante os exercícios espirituais de Quaresma do Papa e dos seus colaboradores mais próximos, que decorre até sexta-feira, na casa dos padres Paulistas ‘Divino Mestre’, em Ariccia, perto de Roma

A reflexão de introdução decorreu este domingo, após a chegada do Papa, de autocarro, e teve por tema “Aprendizes do espanto”.

Nos dias seguintes, o programa começa com a celebração da Missa às 07h30 locais, e a seguir, a primeira meditação às 09h30; a segunda meditação está prevista para as 16h00, antes da oração das vésperas e da adoração eucarística.

Na sexta-feira, último dia de retiro, está prevista uma única meditação.

Os temas escolhidos pelo sacerdote português são: “a ciência da sede”, “percebi que estava sedento”, “esta sede de nada”, “a sede de Jesus”, “as lágrimas contam uma sede”, “beber da própria sede”, “as formas do desejo”, “ouvir a sede das periferias”, e “a bem-aventurança da sede”.

Durante o período de retiro são suspensas todas as audiências, incluindo a audiência geral de quarta-feira.

A realização dos exercícios espirituais de Quaresma fora do Vaticano foi implementada pelo Papa Francisco; a viagem para Ariccia é feita em autocarro.