De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Lifestyle

Russos gostam do vinho verde de Felgueiras

A Cooperativa Agrícola de Felgueiras foi em 2017 a maior exportadora de vinho verde para a Rússia, detendo já cerca de 70% daquele mercado, disse hoje à Lusa fonte da direção.

O presidente Casimiro Alves assinalou que face a 2016 as exportações cresceram cerca de 50% naquele mercado e que as perspetivas para 2018 apontam para um acréscimo na mesma ordem de grandeza. No ano passado venderam-se mais de 500.000 garrafas com as marcadas detidas pela CAF naquele país do leste europeu.

Atualmente, a Cooperativa de Felgueiras tem cinco grandes importadores na Rússia, mais dois do que em 2017, o que explica as perspetivas de crescimento para 2018.

O sucesso dos vinhos de Felgueiras na Rússia deve-se, em parte, à preferência que os clientes de sexo feminino têm demonstrado, destacou ainda o dirigente.

Estes números de “grande sucesso” relativos à Rússia são acompanhados pelos dados gerais da exportação daquela cooperativa para os vários mercados, que também cresceu 50% em 2017, atingindo 1,5 milhões de garrafas.

A Rússia representa 25% do vinho verde exportado pela Cooperativa de Felgueiras, seguindo-se o Brasil e os Estados Unidos. Também esses mercados evidenciaram fortes crescimentos em 2017, com 15% e 12%, respetivamente.

O mercado interno, que ainda representa cerca de 70% da produção, cresceu 15% no ano passado e a perspetiva para 2018 aponta para um ganho de 10%.

Casimiro Alves refere que Felgueiras é a maior adega na região dos vinhos verdes, tendo vendido em 2017 mais de oito milhões de garrafas, produzido sete milhões de litros e 9,5 milhões de quilos de uva.

“Tivemos um ano fantástico”, reforçou, antevendo que 2018 será ainda mais positivo para a instituição.
Estes ganhos da cooperativa têm também chegado aos produtores associados, frisou, destacando que os pagamentos estão em dia e que o preço por quilo de uva, atualmente de 44 cêntimos, atribuído aos viticultores vai continuar a aumentar, até chegar aos 50 cêntimos, dentro de cinco anos.

Em 2017, cerca de 900 produtores de vários concelhos do Entre Douro e Minho entregaram as suas uvas na Cooperativa de Felgueiras.