De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Colunistas

Sem “encore”

Já pensei muitas vezes

Com os meus botões

Ou sem eles…

Que morrer é só e unicamente

 

Deixar de ser

Palpável

Num beijo

Num abraço

Dos que amamos

 

Deixar de ouvir

Em cantata

Ao ritmo do Fado

Do rock

Ou dos passarinhos

As vozes que amamos

 

Deixar de ver

A cor a variar

Nas estações que cíclicas

Nos despertam o ócio

Espreguiçado

Nos perfis que amamos

 

Deixar de tocar

O espaço

Preenchido por ternuras
Aveludadas

E outras loucuras

Nas mãos que amamos

 

Deixar de saborear

O petisco de estar viva

E o apetite insaciável

De ternas iguarias

Aromatizadas

Com os gestos que amamos

 

Deixar de sentir

O cheiro a Sol

Terra regada pela chuva de Verão

Passos na praia

A amolecer de calor

A par dos passos que amamos

 

Entretanto de tanto pensar

Cansei os meus botões

Para concluir humildemente

Que morrer

É antes de mais

E sobretudo

Perder…