De que está à procura ?

Mundo

Madeira procura reforço das sinergias luso-venezuelanas

© DR

O Instituto de Desenvolvimento Empresarial (IDE) da Madeira quer conjugar sinergias entre empresas luso-venezuelanas, na Venezuela, e empresários da Região Autónoma da Madeira (RAM), disse o presidente, Duarte Freitas.

“Há empresários jovens, com outras ideias, em que nós podemos conjugar as sinergias das empresas, dos negócios da Madeira com o conhecimento e o ‘know-how’ daquilo que é feito aqui na Venezuela”, disse.

Duarte Freitas falava à Agência Lusa, em Caracas, no âmbito de uma “missão empresarial” de oito dias à Venezuela para reforçar os laços comerciais entre empresas regionais e venezuelanas, uma iniciativa promovida pelo IDE com apoios comunitários através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), destinados à internacionalização da economia madeirense.

“Felizmente, tivemos oportunidade de ter grandes contactos, não só nas áreas mais tradicionais da distribuição alimentar, mas também noutras áreas e com especial significado nas segundas e terceiras gerações já”, explicou.

Segundo Duarte Freitas, “há oportunidades na área da transição digital” que permitem “esbater facilmente a distância física”, permitindo “estar continuamente ligados e desenvolver negócios”.

“É isso que procuramos: uma ligação frutuosa entre as duas economias. Felizmente, aquilo que testemunhamos (na Venezuela) é uma economia organizada, que passou tempos difíceis, mas cujas perspetivas são de melhoria. E nós queremos aproveitar esse sentido positivo para estarmos juntos, a aproveitar as possibilidades de crescermos e de tornarmos mais competitivos”, apontou.

Duarte Freitas sublinhou ainda que “há de facto uma grande abertura” para o trabalho conjunto e que a missão empresarial “foi apenas um pontapé de saída que tem de ser acarinhado continuamente”.

“Mas temos, diria, o fundamental que é a boa vontade, as relações pessoais e as relações históricas que nos ligam, que são a primeira camada e a camada de base que está perfeitamente sedimentada, onde colocaremos por cima dessa camada as outras que vão fortificar as relações económicas”, disse.

Duarte Freitas explicou ainda que a iniciativa, promovida pelo IDE, com apoios comunitários através do FEDER, surgiu “da compatibilização de agendas em que foi possível, de forma feliz, conjugar a presença na celebração do Dia da Região na Venezuela e juntar essa disponibilidade para a realização de uma missão empresarial”.

“Foi uma oportunidade para estarmos com as comunidades, nas quais os empresários têm uma forte presença, e conseguir estarmos junto de um mercado que foi sinalizado como prioritário naquilo que é a intenção de internacionalização da economia da Madeira, e que (…) deve ter na cabeça aquilo que são as nossas comunidades, que são os primeiros pontos de ligação para o exterior”, frisou.

#portugalpositivo

TÓPICOS