De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Colunistas

Os nossos filhos

Um dia, tornamo-nos pais.
Tudo muda nesse dia.
É um dia de alegria!
Sim, é!
Mas não para todos os pais!
Quando o milagre da natureza acontece só pode ser um milagre feliz!
Pois bem, nem sempre.
Há pais que recebem uma triste notícia: “a sua criança é diferente, precisamos falar…”
Há pais que recebem a notícia em que tudo está bem e meses depois, alguns anos depois recebem também essa triste notícia: “a sua criança é diferente, precisamos falar…”

Que fazer quando se ouve tamanha crueldade?
Como gerir esse momento de incompreensão total?
Que injustiça essa? Porquê o meu filho? Porquê?
Ninguém te dará essa resposta.
Queres negar essa verdade cruel, queres ir viver num mundo paralelo onde o teu filho está bem como as outras crianças…!

Não, não podes, tens de saber gerir.
Vais continuar a amá-lo, vais!
E a tua maior luta começa nesse instante, tu queres ter um filho igual a todos os outros filhos no mundo.

Enganaste!
No mundo há muitas crianças diferentes, é assim e sempre o será.
E tu? Tu apenas querias que o teu filho sentisse a normalidade numa sociedade onde tudo está definido e cronometrado para gente toda igual.

E começa a tua maior luta, essa de seres pai ou mãe de uma criança diferente.
Mas descansa, tranquiliza-te, a vida tem destas coisas, dá-te sempre desafios e este é o teu mais belo desafio que irás conseguir ultrapassar porque o teu filho te dará lições de vida sempre e sempre e alegrias sem medida e sem fim.

Força a todos os pais de todos os filhos!

Dedico este texto à minha filha Léa, ao menino Arthur e a todas as crianças por esse mundo fora, essas iguais e essas diferentes.

BV 13.06.2019