De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Colunistas

Porque não mais sobre a minha mão a tua

porque não mais sobre a minha mão a tua
inúmeras flores estivais em sucumbimentos mirram
porque as vísceras do mais sagrado músculo fulminaste
todos os caminhos doravante escuridão
porque beijar o meu cabelo no dia
do meu cadáver já não beijarás
nas penhas do tempo o despenho do perene

que direi agora ao amor?

dm

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.