De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Desporto

Porto venceu os gregos do Olympiacos

O FC Porto venceu os gregos do Olympiacos 2-0, em partida da segunda jornada da Liga dos Campeões de futebol, em que os ‘dragões’ capitalizaram um golo ‘madrugador’ para se estrearem a vencer nesta edição da prova.

Fábio Vieira, logo aos 11 minutos, colocou a formação portuguesa na frente do marcador, e, apesar de uma boa resposta do Olympiacos no segundo tempo, Sérgio Oliveira, aos 85, selou o triunfo dos ‘azuis e brancos’.

Após esta primeira vitória na presente edição da prova, FC Porto sobe ao segundo lugar, com três pontos, os mesmos do Olympiacos, num grupo liderado pelo Manchester City, com seis, após derrotar hoje o Marselha, de André Villas-Boas, por 3-0, que ainda não pontuou.

Nesta partida, que marcou o regresso do público ao estádio do Dragão, algo que, devido à pandemia, não acontecia desde março, o FC Porto sabia que precisava de vencer para manter as suas ambições na competição, depois da derrota (3-1) frente ao Manchester City na ronda passada, entrando com mais garra e assumindo a iniciativa do desafio.

Essa postura pressionante cedo deu frutos, com Sérgio Oliveira a recuperar uma perda de bola infantil de Bouchalakis e a cruzar para o jovem Fábio Vieira, que, aos 20 anos, marcou o seu primeiro golo na Liga dos Campeões, colocando a equipa em vantagem.

O tendo ‘madrugador’ desequilibrou a estratégia dos gregos, orientados pelo português Pedro Martins e com os lusos José Sá e Rúben Semedo no onze inicial, que demoraram a recompor-se e ainda passaram mais alguns ‘calafrios’.

Aos 28 minutos, Marega esteve perto de ampliar a vantagem portista, quando se isolou, mas não conseguiu superar o duelo individual com o guarda-redes José Sá, ex-jogador do FC Porto.

Só aos 40 minutos, os gregos construíram a sua primeira ocasião de real perigo, num lance em que Valbuena fez um ‘chapéu’ ao guarda-redes portista Marchesin, mas o defesa Mbemba ainda conseguiu desviar a bola, mantendo o 1-0 até ao intervalo.

O lance galvaniziu o conjunto helénico para o segundo tempo, com a equipa de Pedro Martins a surgir bem mais solta e pressionante, e, desde cedo, a tentar resgatar o empate.

Masouras, aos 52 minutos, rematou de primeira para uma excelente defesa de Marchesin e, aos 58, foi a vez de Fortounis tentar a sorte num remate de longe.

O FC Porto não conseguia, nesta fase, sacudir o ascendente do adversário, nem explorar os contra-golpes, e, ao recuar em demasia, ainda viu El-Arabi voltar ameaçar a igualdade, pouco depois da hora de jogo.

A 20 minutos do final, o técnico Sérgio Conceição lançou o médio Grujic para reforçar o meio campo defensivo, numa mexida que estabilizou a equipa e ajudou a colocar um travão às iniciativas contrárias.

Com maior segurança para os minutos finais, os ‘dragões’ sentiram-se confortáveis para explorar os contra-ataques e, já aos 85, deram a ‘estocada’ final’ nas ambições do Olympiacos, numa jogada construída por Nakajima e Marega e finalizada num cabeceamento de Sérgio Oliveira, para o 2-0.

O melhor que os gregos conseguiram na sua reação foi uma tentativa do ex-Sporting de Braga Hassan, num duelo com Marchesin, já aos 88.

Na próxima jornada deste grupo C da Liga dos Campeões, o FC Porto recebe o Marselha, numa partida agendada para 03 de novembro.