De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Comunidades

Rede Global da Diáspora recupera tempo roubado pela pandemia

Seis reuniões de negócios internacionais junto das comunidades empresariais mais representativas vão marcar este ano o arranque dos encontros presenciais da Rede Global da Diáspora portuguesa que desta forma procura “acelerar o potencial de negócios e de parcerias”.

Promovida pela Fundação Associação Empresarial de Portugal (AEP), a Rede Global da Diáspora une portugueses em 126 países e o seu propósito é chegar a todos os portugueses e lusodescendentes que vivem fora de Portugal, como disse à Lusa o presidente da fundação, Luís Miguel Ribeiro.

“Estamos a falar de uma rede que pretende ligar todos os portugueses espalhados pelo mundo, que são cerca de cinco, entre portugueses e lusodescendentes”, disse.

Adiados devido à pandemia de covid-19, os encontros presenciais de negócios internacionais junto das comunidades empresariais mais representativas da diáspora vão realizar-se na Europa (França, Luxemburgo e Alemanha) e no continente Americano (Estados Unidos, Canadá e Brasil).

Para Luís Miguel Ribeiro, estes países foram escolhidos porque neles existem “grandes comunidades, com um histórico de cooperação e relacionamento entre as comunidades portuguesas destes países e onde se perspetiva que seja mais fácil potenciar os negócios”.

O Brasil, em particular, é o país que vai acolher o encontro global das Câmaras de Comércio de Língua Portuguesa.

A retoma dos encontros presenciais da Rede acontece numa altura em que esta vai entrar na segunda fase do projeto, na qual será dado “mais enfoque nas empresas e nos empresários portugueses da diáspora, para alavancar as exportações portuguesas”.

“Queremos, através da plataforma, potenciar o ‘networking’ [trabalho em rede], alavancar negócios e criar sinergias e oportunidades para promover as exportações das Pequenas e Médias Empresas (PME) portuguesas e captar investimentos junto da diáspora e das suas comunidades empresariais”, referiu o presidente da Fundação AEP.

Para esta “versão 2.0” da Rede Global da Diáspora está previsto o lançamento de novas funcionalidades, com o objetivo de exponenciar o valor da diáspora portuguesa.

Vai ser lançado um “Portal do Investidor” dirigido a empresas e investidores, para facilitar e acelerar negócios à escala global.

Através de uma ferramenta de ‘business intelligence’ a disponibilizar (Diáspora Business Intelligence) irá ser possível conhecer a diáspora ao pormenor, permitindo às empresas identificar os canais de distribuição mais adequados a cada negócio e setor de atividade, explicou.

#portugalpositivo