De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Europa

“TAP aproveitou crise para olhar à sustentabilidade”

A presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, considerou esta semana que a indústria da aviação foi “bastante afetada” pela pandemia de covid-19 e, com esta crise, ganharam importância as questões da sustentabilidade.

A crise derivada da pandemia de covid-19 enfatizou o facto “de que a sustentabilidade é mais importante e irá contribuir para um futuro melhor para a indústria”, frisou a responsável, durante uma conferência mundial de turismo, em Évora.

Na sua intervenção, em que realçou que “a indústria da aviação foi bastante afetada” pela pandemia, Christine Ourmières-Widener assinalou alguns passos que têm sido dados em matéria de sustentabilidade no setor, aproveitando o momento de crise.

“Todas as companhias aéreas aproveitaram a oportunidade da crise para renovar a sua frota”, o que “tem um enorme impacto” nas emissões para a atmosfera de gases com efeito de estufa, “porque as novas aeronaves têm uma melhor eficiência operacional e queimam menos combustível”, disse. E é “o que a TAP tem feito também”, pois, já tinha começado “uma renovação completa da frota há alguns anos” e, agora, está “a terminar esse processo”, notou, enumerando outras medidas na área da sustentabilidade.

Numa altura de crise, “o investimento pode ter de ser adiado”, mas “todo este investimento na frota e também a renovação da frota são escolhas sustentáveis também para nós”, as companhias de aviação, defendeu.

Porque, quando a crise passar, se as companhias quiserem “ser mais fortes”, precisam de “continuar a renovar a frota” e de “ter uma aeronave sustentável, porque esse será também o futuro da indústria e o futuro da estrutura de custos”, acrescentou.

Na mesma intervenção, na conferência mundial sobre turismo sustentável “A World for Travel – Évora Fórum”, que começou esta quinta-feira na Universidade de Évora, a presidente executiva da TAP também afiançou que a crise devido à pandemia de covid-19 tem sido “muito diferente de uma região [do mundo] para a outra”.

Como exemplo, disse que a redução da procura no mercado doméstico nos EUA “começou muito antes do que em outros” mercados.

Quanto ao mercado sul-americano, a crise teve “um impacto profundo”, indicou, destacando que, no que respeita à TAP, vai ter agora “uma lenta recuperação, graças abertura por exemplo das fronteiras do Brasil”.

“Muito obrigado por esta boa notícia para nós”, congratulou-se a responsável da TAP, insistindo que o impacto da crise difere de país para país “dependendo de as fronteiras estarem abertas ou não” e defendendo que, perante esta diversidade de cenários, as companhias aéreas têm de ser “flexíveis e adaptáveis”.

A conferência mundial sobre turismo sustentável, promovida por diversas entidades do setor, com o apoio da Visit Portugal, conta com mais de 140 oradores nacionais e internacionais de diferentes áreas.