De que está à procura ?

franca
Lisboa
Porto
Paris, França
Colunistas

Tony Foulds: Sheffield Walk of Fame Star

A nossa espécie tem a particularidade de se adaptar a qualquer situação seja ela qual for e no processo dessa adaptação, as situações mais adversas acabam por ser encaradas com uma certa normalidade.

Neste contexto, aquele dia 22 de fevereiro de 1944, teria sido um dia normal mesmo tendo em conta que se estava no seio da segunda guerra mundial, se não tivesse acontecido uma tragédia testemunhada por Tony Foulds e os seus amigos.

Tony encontrava-se no Endcliffe park em Sheffield sendo um dos que testemunhou o bombardeiro B17 Flying Fortress, mais conhecido por Mi Amigo a despenhar-se de encontro às árvores sobranceiras ao descampado do parque e que faz fronteira com a Rustlings road, perdendo a vida todos os seus tripulantes.

O B17 Flying Fortress foi um bombardeiro da força aérea dos Estados Unidos e foi larga e estrategicamente usado na segunda guerra mundial para bombardear alvos industriais e militares Alemães no sentido de enfraquecer o mais possível o inimigo.

O Mi Amigo regressava de uma missão na Dinamarca severamente danificado no combate onde defendeu mais de uma centena de soldados aliados, e ao surgir nos céus de Sheffield o Lieutenant John Kriegshauser e os seus nove tripulantes viram no descampado do Endcliffe park uma oportunidade para uma tentativa de aterragem.

Nesse dia, nessa precisa hora, Tony e os amigos encontravam-se no parque, precisamente no descampado onde o Mi Amigo procurava uma aterragem de emergência.

Ao contrário do que se noticiou no inicio desta história dada a conhecer pela BBC no programa BBC Breakfast por Dan Walker, também ele um residente de Sheffield, Tony e os amigos não se encontravam no parque a jogar à bola mas sim para uma confrontação, ou seja, uma luta entre miúdos de duas diferentes escolas. Eu tive a oportunidade de gravar esta história contada pelo próprio Tony quando também eu, em nome do Bom Dia, falei com ele aquando do Flypast em Sheffield para lembrar os 75 anos da tragédia e que reuniu no parque uma multidão de cerca de doze mil pessoas, no passado dia 22 de Fevereiro.

Como vínhamos dizendo, o Mi Amigo procurava uma aterragem de emergência no descampado do parque, mas ao ver os miúdos o Lieutenant John Kriegshauser e os seus tripulantes, para garantirem a segurança deles, e vendo que os miúdos não entendiam os acenos que lhes faziam para que se retirassem do parque, acenando de volta pensando que havia ali uma troca de cumprimentos, o bombardeiro tentou sobrevoar as árvores mas acabaria por se despenhar trazendo a morte a todos os seus dez tripulantes.

Com o decorrer dos tempos construir-se-ia um memorial às vítimas desta tragédia. Tony, que nessa altura tinha apenas 8 anos, foi crescendo, mas nunca esqueceu este fatídico dia. Na sua mente uma espécie de culpa foi acompanhando a sua vida quando começou a ter um outro entendimento acerca das coisas. Tony sempre achou que se ele e os amigos, bem como os adversários, não estivessem no parque, os homens teriam aterrado e sucedido na sua aterragem. Por isso, um dia, já muito mais velho, na idade depois da reforma, ao passar no Endcliffe park e ao testemunhar o estado de quase abandono do memorial, Tony decidiu tomar ele conta, passando a lá ir todos os dias para mudar as flores, limpar, lavar e assear.

Um dia, Dan Walker, um conhecido apresentador de televisão da BBC, ao passear o seu cão pelo parque cruzou com Tony e passou a ter conhecimento desta fascinante história. Daí até a contar no programa que apresenta com Louise Minchin diariamente nas manhãs da BBC foi um pequeno passo que transformou a importância deste feito não só a nível nacional como internacional.

A história comoveu muita gente e foi noticiada por algumas cadeias de televisão na América, aqui no Reino Unido, e como dizem os Ingleses, “nevertheless” também no Bom Dia.

Como resultado da história e da expansão que a mesma teve levando o nome de Sheffield uma vez mais aos olhos do mundo, Tony Foulds foi agraciado com “Sheffield Walk of Fame Star”, uma espécie de versão da Hollywood Walk of Fame, e que no caso de Sheffield se encontra de frente à entrada do edifício da Câmara Municipal da cidade, ou seja, em Inglês, Sheffield Town Hall e que visa imortalizar o nome de pessoas naturais da cidade, ou que nela vivendo, levam pela sua fama o nome da mesma aos quatro cantos do mundo.

Alguns dos nomes que figuram no Sheffield Walk of Fame são Sean Bean, conhecidíssimo ator de Hollywood em filmes como “Game of Thrones”, “Lord of The rings” “Troy” entre muitos outros, Joe Cocker cantor e compositor que teve músicas nos tops em vários países do mundo, a banda de rock Deff Leppard, o ex. futebolista Gordon Banks guarda-redes e que no campeonato do mundo de 1966 na semifinal entre a Inglaterra vs. Portugal sofreu um golo do saudoso Eusébio, a romancista Margaret Drabble, e outros. E agora, Tony Foulds.

De entre os muitos participantes neste merecido evento, estiveram presentes o Lord Mayor of Sheffield, councillor Tony Downing e Dan Walker o famoso jornalista e apresentador da BBC e que no fundo foi o grande impulsionador de tudo isto.

A proposta para adicionar o nome do senhor Foulds no “City’s walk of fame” foi apresentada por Julie Dore, a líder do conselho municipal, e foi apoiada unanimemente. Julie Dore disse, “Muitos cidadãos de Sheffield têm um impacto significativo a nível nacional e internacional. Tony Foulds, com a ajuda do apresentador da BBC, Dan Walker, colocou Sheffield no mapa mundial com um magnifico voo organizado pela Força Aérea dos EUA, e pela Royal Air Force, juntamente com a Câmara da cidade, BBC Breakfast, South Yorkshire Police e muitos outros. Queremos agradecer ao Tony e aos muitos outros cidadãos de Sheffield que pela sua dedicação e paixão fazem da cidade de Sheffield uma grande cidade.”

Fui falar com Tony que me reconheceu desde a última vez que estive com ele, representando o BOM DIA. Desta vez disse-lhe que continuava a representar o BOM DIA, mas também o blogue do Dr. Armando Palavras “Tempo Caminhado”.

A sua história já é largamente conhecida e por isso as perguntas acabam por ser desnecessárias. A única pergunta que lhe fiz foi o que sentia ele com este reconhecimento da sua cidade.

Tony estava visivelmente emocionado, e com a voz quase embargada disse-me, “É uma enorme honra, mas a minha maior alegria é o merecido reconhecimento que os rapazes (tripulação do Bombardeiro Mi Amigo) estão a ter porque eles é que são os verdadeiros heróis. Sinto-me felicíssimo por perpetuar o nome destes homens que não poderiam de maneira nenhuma serem esquecidos. Sinto que lhes devo a minha vida e por isso cuidarei deles ao cuidar do sítio onde eles perderam a sua vida. Sinto que eles estão a sorrir, e para lhe dizer a verdade, sinto que tudo isto que está a acontecer tem a divina intervenção deles.”

E dito isto Tony Foulds largou um sorriso meigo, caloroso e de uma enorme satisfação.

Despedi-me deste homem por quem adquiri um enorme respeito pela sua humildade e pelos valores do seu carácter que apesar de um comum trabalhador, agora a gozar a sua reforma, ganhou um reconhecido e merecido lugar junto de outras personalidades pela sua simplicidade, mas acima de tudo pela sua comovente e incrível história que de tão simples é também tão grandiosa.

Prometi a Tony que voltaria dentro de duas semanas e que lhe traria uma cópia impressa em papel, dos artigos publicados no BOM DIA e do Tempo Caminhado. Avisei-o daquilo que ele já sabia. “Os textos são publicados em Português como é obvio, mas de qualquer maneira farão parte dos seus arquivos acerca desta história”. Agradeceu-me com um forte abraço e antes de eu sair confessou-me que o seu último patrão se havia mudado para Portugal para lá viver o resto dos seus dias. Disse-me também que sempre teve uma muito boa impressão acerca do povo Português. “Very friendly”, disse-me a sorrir. “Ficarei ansiosamente à espera da sua visita e os seus artigos ficarão muito bem arquivados junto com outros artigos de jornais Ingleses e Americanos.

Desta vez quem largou um sorriso espraiado fui eu.

Tripulação do Bombardeiro B17 Flying Fortress – Mi Amigo.

Piloto- Lt John Kriegshauser (Missouri), 2nd Lt Lyle Curtis (Idaho), 2nd Lt John Humphrey (Illinois), Melchor Hernández (Califórnia), Harry Estabrook (Kansas), Charles Tuttle (Kentucky), Robert Mayfield (Illinois), Vito Ambrósio (New York), Malcom Williams (Oklahoma), Maurice Robbins (Texas)